Defesa Civil de Teresópolis preparada para as ocorrências de verão

Coronel Albert Andrade, secretário municipal de Defesa Civil de Teresópolis, no lançamento do Plano Verão 2021-2022
Coronel Albert Andrade, secretário municipal de Defesa Civil de Teresópolis, no lançamento do Plano Verão 2021-2022

Defesa Civil de Teresópolis preparada para as ocorrências de verão

Sistema de Alerta e Alarme conta com 26 sirenes, 37 pluviômetros e 29 NUDEC´s

Teresópolis, 22 de dezembro de 2021 – Nesta terça, 21, começou o Verão, estação em que geralmente as chuvas são mais intensas e frequentes, e a Defesa Civil Municipal de Teresópolis segue com os trabalhos de prevenção e está preparada para atender a população nas ocorrências. A Defesa Civil conta com um aparato que inclui 26 sirenes do Sistema de Alerta e Alarme, 37 pluviômetros e o apoio de 29 NUDEC´s (Núcleos Comunitários de Defesa Civil), que reúnem cerca de 440 voluntários no município.

As 26 sirenes estão instaladas no Caleme (2), Caxangá (1), Coreia (2), Corta Vento (1), Fischer (1), Fonte Santa (2), Granja Florestal (3), Perpétuo (2), Pimentel (2), Quinta Lebrão (3), Rosário (2), Santa Cecília (1), Vale da Revolta (2), Cruzeiro (1) e Três Córregos (1).

Os 37 pluviômetros estão localizados em diversos bairros e localidades do município, sendo cinco com régua de rio (INEA/Instituto Estadual do Ambiente); 7 Gridlab/SEDEC (Secretaria de Estado de Defesa Civil); e 25 pelo Cemaden (Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais), pontuando que cinco deles foram instalados recentemente pelo governo federal, por meio do projeto RedeGEO/Cemaden.

“O projeto RedeGEO contemplou Teresópolis com 5 estações de monitoramento com pluviômetros e sensores de umidade de solo. Com os dados fornecidos por estes equipamentos a Defesa Civil de Teresópolis pode prever alterações no nível do Rio Paquequer, possibilitando a retirada das pessoas da região ribeirinha, além de possibilitar um estudo mais aprofundado sobre o nível de umidade que provoca o deslocamento de massa nessas regiões e com isso estabelecer um modelo para toda a cidade”, ressaltou o secretário de Defesa Civil, cel. Albert Andrade.

Monitoramento dos bairros e localidades

O Plano Verão 2021/2022 estabelece o protocolo para mobilizar o alarme sonoro nos bairros e localidades onde estão as sirenes conforme os acumulados pluviométricos no período (de uma hora, em 24 horas, em 96 horas e em 30 dias) e a previsão de chuva nas próximas horas. O nível dos rios monitorados pelo INEA e pela Defesa Civil Municipal também influencia nas decisões de acionamento das sirenes.

A Defesa Civil monitora todo o município, e tem foco especial nos bairros e localidades com risco de inundações, alagamentos e de deslizamentos de blocos rochosos, assim como os locais onde é possível ocorrer deslizamento de grande impacto. O monitoramento dos rios em Teresópolis é realizado pelo INEA, através das suas estações hidrológicas localizadas nos bairros Caleme, Caxangá, Posse, Quebra-Frascos, Quinta Lebrão/Fonte Santa, Várzea/São Pedro. Pela SMDC são monitorados os rios Cruzeiro e Paquequer, nos Bairros de Cruzeiro e Três Córregos.

A Defesa Civil também monitora as informações de órgãos externos, de radares, das comunidades, imprensa e da internet. Quando a precipitação monitorada pelo Centro de Monitoramento da Defesa Civil for superior ou igual a 30 mm/h ou 100 mm/24 h, ou quando o nível dos rios monitorados pelo INEA e pela SMDC, for superior ou igual as cotas de transbordamento, conforme mostrado em site próprio, gera Estado de Alerta para ativação do Plano. Também existe a possibilidade de ocorrências pontuais que justifiquem o presente estado de alerta.

O monitoramento dos índices pluviométricos em Teresópolis é realizado pelo INEA, através das suas estações hidrológicas/pluviométricas localizadas nos bairros Caleme, Caxangá, Posse, Quebra-Frascos, Quinta Lebrão/Fonte Santa, Várzea/São Pedro. Também são monitorados pelo Cemaden/RJ e Cemaden/BR, bem como estações do INMET.

A Defesa Civil, através do Centro de Monitoramento, acompanha a evolução dos índices pluviométricos, além de analisar as imagens de radares e satélites para auxiliar nas ações operacionais, e observando condições críticas, emitindo alertas e avisos de chuva.

Acionamento das sirenes

A Defesa Civil possui os seguintes estágios de monitoramento: Vigilância, Atenção, Alerta e Alarme. Quando ocorre a mudança do estágio de vigilância para atenção (chuva moderada a ocasionalmente forte), a DCM envia Aviso de Atenção aos NUDEC´s por meio de mensagens de alerta no SMS e esses núcleos ficam responsáveis pela difusão do Aviso.

Se houver risco de deslizamento e inundação, ocorre a mobilização das equipes e deslocamento para o local. Quando há ocorrências de chuvas fortes ou muito fortes, atingindo índices críticos, a Defesa Civil emite ordens de acionamento para o toque das sirenes. Nesses casos, a orientação é que os moradores daquele bairro/localidade se dirijam a um ponto de apoio, geralmente, uma escola municipal, igreja ou sede de associação de moradores.

Fonte: Assessoria de Comunicação de Teresópolis